Viajando com as gêmeas: dicas e constatações

Oi, pessoal, como estão?
Por aqui, organizando a vida pós férias. Prometi contar como foi a viagem para o Brasil com as gêmeas, já que agora estão maiores e os preparativos foram diferentes. Então, aqui estou!
A primeira diferença ao preparar esta viagem foi o fato de as gurias terem 2 anos completo na data da viagem, o que nos obriga a comprar assento para elas, pois crianças a partir de 24 meses não podem viajar no colo. Ou seja, não é uma opção não comprar passagem para elas. A parte boa é que elas tem a mesma franquia de bagagem dos adultos ( nos casos dos voos que incluem a bagagem na tarifa). Passagens compradas, partimos para a segunda etapa: levar ou não os carseats ( cadeirinhas de carro).  A FAA ( Federal Aviation Administration) sugere que crianças que tem assento nos voos use o carseat  - homologado para tal uso - por segurança. Não é obrigatório, é uma orientação. Vale lembrar que bebês de 0 a 23 meses não precisam comprar assento e, portanto, viajarão no colo. 
Verificamos nosso carseat e constatamos que ele é homologado para uso em aeronaves, então começamos a avaliar as vantagens e desvantagens de levá-lo. Chegamos à conclusão de que, sim, seria melhor viajar com ele, já que as gurias ficam super confortáveis e à vontade neles e, como viajaríamos de carro no Brasil, precisaríamos deles. 
Tomada a decisão de levá-los, veio a questão: como? Pesquisando, descobrimos que existe um carrinho para carregá-los, tipo estes carrinhos de mochilas. Passeando pelo shopping, encontramos o dito carrinho. Bingo! Compramos.
O carrinho que compramos é da Britax, e nossos carseats são da Gracco. Ou seja, serve, mãos não perfeitamente. Fica instável para carregar com as gurias neles.  Então, já pensando nisso, levamos

Carrinho com o Carseat acoplado, e as etiquetas que mostram que é homologado para aeronaves.


 também nossos cangurus.
Conexão: mamãe com as bagagens de mão e papai com as 3 malas. 
Nos trajetos de aeroportos ( foram 4 na ida e 3 na volta), nas conexões, colocávamos as gurias no canguru, as malas de mão nos carrinhos e assim conseguíamos ter uma certa mobilidade.
Durante os voos, confirmamos que a escolha de levar os carseats foi acertada. As gurias ficaram super tranquilas, seguras, não se agitaram, dormiram tranquilamente, e nós conseguimos ficar mais tranquilos sobre como elas estavam.  Nós super indicamos a quem for viajar com crianças nesta idade que leve o carseat. Ajuda, e muito ( já que o assento do avião é grande para crianças e o cinto não é efetivo para elas).
Guriazinhas super à vontade!
A parte ruim desta história toda: carregar toda esta "tralha" durante as conexões e instalar/desinstalar no avião, além de conseguir passar com ele entre as minúsculas fileiras cheias de gente.  Nós, com as duas, tínhamos que entrar com um, instalar, eu ficava com as duas colocando uma na cadeirinha que já estava instalada, enquanto o Gui ia, no contra fluxo, buscar a outra cadeirinha que estava na entrada do avião. Sim, é uma enorme mão de obra ( e as pessoas não ajudam).
Todos bem acomodados.
Fizemos tranquilamente os voos dentro do Canada e do Canadá para o Brasil desta maneira. Porém, ao chegarmos em São Paulo, não foi permitido usar o carseat no avião, mesmo explicando a regra internacional. A resposta que obtivemos foi que "naquele avião não era permitido". Tivemos que despachar os assentos na porta do avião ( nos recusamos a pagar e tivemos, novamente, que explicar que é direito dos bebês despachar sem custo estes equipamentos ( carseat, bebê conforto ou carrinho). Viajamos com as duas, sentadas no assento, com aquele cinto que não segura. Elas dormiram e não nos deixaram pegá-las no colo. Tivemos que viajar de São Paulo a Porto Alegre segurando a cabecinha delas, no assento. Por isso, gente, mais uma vez eu digo, em viagens internacionais, LEVEM o carseat. É  muito mais confortável pra criança, e pra nós também, durante o voo.( Nessas horas desanima pensar no Brasil, sabe?)
Apesar de todo este trabalho, valeu muito a pena.
Por hoje acho que é isso. Se deixei de contar algo, eu volto e conto. Ou, se quiseres saber algo mais, por favor, comenta aí que eu respondo!
See you!

3 comentários

  1. Bom saber! Vou levar no próximo voo longo.

    ResponderExcluir
  2. Oi! Qual foi cia áerea no Brasil que não deixou instalar o carseat na poltrona??
    Eu não sabia que dava para colocar a cadeirinha no banco do aviaõ, foi novidade para mim. Viajamos de Azul agora em abril de 2019 como noss filho de 1 ano, e foi bem tranquilo despachar o carrinho na porta do avião.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim, Claudia. Despachar o carrinho é padrão, fato conhecido e feito mundo afora. Mas o uso do Car seat dentro do avião nao foi aceito pela Gol, no trecho Gru-POa. E criança de um ano viaja no colo, savo se os pais quiserem comprar assentos. Quando viemos pro Canadá, as gurias tinham um ano, viajaram no colo e foi super tranquilo, apesar do cansaço.

      Excluir

Deixe o seu comentário aqui.