Brasil x Canadá: Educação e respeito


BRASIL X CANADÁ: educação e respeito, aqui ainda existe.

Oi, pessoal!Tudo? Vou contar um pouco sobre a educação e o respeito do canadense, principalmente com relação ao trânsito e com pessoas "preferenciais" (idosos, pessoas com bebês, gestante...).
Faz dois meses que nos mudamos (eu, meu marido e nossas gêmeas, que hoje têm 15 meses) para Edmonton, em Alberta, no Canadá. Tempo suficiente para percebermos que as coisas, apesar de parecidas, são também muito diferentes, principalmente em termos de educação/respeito.
Já havíamos estado aqui antes duas vezes, então a cidade em si não é uma novidade muito grande. Agora, como moradores, e não turistas, vemos as coisas por outro ângulo.
Primeira saída de ônibus. Parada fechada!
Vou começar contando a questão de educação e respeito: o canadense é MUITO educado. Aqui, tu sempre vais ouvir “excuse-me”, “sorry” ou “thank you”. O tempo todo! Pra tudo! A primeira coisa que nos chamou a atenção aqui foi pegar ônibus com as gêmeas. No Brasil NUNCA pegamos ônibus com elas, então isso era uma novidade. Fomos para a parada (que é fechada, então ficas quentinho esperando o ônibus), o ônibus chegou (no horário previsto na tabela) e quando entramos as pessoas imediatamente levantaram e liberaram assentos para nós. E não, o ônibus não estava cheio. E isso se repetiu a cada idoso ou pessoa com bebê que entrava no ônibus.
Com o carrinho, duplo, no ônibus!
Outra coisa que chamou a atenção é que tu entras e sais do ônibus pela mesma porta, então todos que estão na parada esperam todos descerem antes de subirem. Não tem aquele desespero de entrar logo. E, ainda, posso entrar no ônibus com o carrinho de bebê. Isso me encantou, afinal, facilita muito a minha vida pois, assim, posso sair com as gêmeas sozinha, sem depender de mais alguém pra levar uma das duas!
Além disso, pagar o ônibus é um espetáculo a parte. Não tem cobrador, pagas pro motorista mesmo. Se tens o ticket, tu o colocas numa caixinha que tem ao lado do motorista. Se tens o cartão de passe mensal, só mostras. E ponto.  Enfim, existe uma confiança de que todos são sérios e estão te apresentando o passe válido.
Atravessar a rua aqui também é algo que tem muitas diferenças com relação ao Brasil. Aqui, a preferência é SEMPRE do pedestre. A maioria das sinaleiras fica piscando em amarelo, e isso indica que o transito é livre, caso não haja pedestre. Se tem pedestre, todos param. E nas que são por tempo, como as nossas (verde/vermelho) se o tempo do pedestre acaba, não tem problema, a preferência é do pedestre que já está atravessando. Podes terminar teu trajeto sem a clássica “corridinha” pra chegar ao outro lado antes de ser atropelado pelos apressadinhos.  Isso já fez com que tivéssemos que atravessar (mesmo não querendo – por exemplo: parar na esquina pra tentar se localizar. Os carros param achando que tu estas esperando pra atravessar. Enquanto não atravessas, os carros ficam parados). E pararmos 9 faixas, por puro desconhecimento – o sinal fechou e nós estávamos no meio. Paramos. Ninguém saiu do lugar. Até que alguém nos disse pra atravessar, que estavam esperando que terminássemos de atravessar a rua.
Enfim, com tanto respeito às regras e educação entre as pessoas, muitas vezes ficamos um pouco perdidos, pois acabamos agindo como estávamos acostumados, mas as coisas FUNCIONAM diferente aqui. É uma pena que no Brasil a educação e o respeito estejam se perdendo.
Por hoje é isso, pessoal. Em breve conto mais sobre a vida no Canadá e tudo que encontramos por aqui. See you!


0 comentários

Deixe o seu comentário aqui.